Saturday, February 25, 2006

Demônios

Trago em minha cabeça milhares de demônios.
Não posso calá-los, então sou bastante democrático - deixo que falem todos ao mesmo tempo.
Argumento (existe aqui o Eu? ou argumentamos todos numa assembléia harmônica e caótica? e é justo isso o Eu?) mas cedo sempre à maioria.
Ceder, como um galho se deixa levar pela correnteza, e o animal que não mais se debate, ou a vontade que não mais resiste.
Ceder, como um cego aceita a forma, e uma mãe recebe o filho, ou o tempo que sentimos passar.
Ceder à vontade do mais forte, à expressão da maioria, a antigas vontades.
Ceder à natureza minha individualidade, pois existir é fato e não direito.
... mas às vezes eles se calam ...

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home