Thursday, December 24, 2009

Da biologia de certas cigarras e de outras biologias

A Natureza jamais deixa de nos surpreender. Quem pensaria que existem animais cujo ciclo obedece à matemática dos números primos? Pois as cigarras do gênero Magicicada fazem exatamente isso (http://insects.ummz.lsa.umich.edu/fauna/michigan_cicadas/periodical/Index.html). Algumas espécies que ocorrem no leste dos Estados Unidos emergem do solo - após um desenvolvimento subterrâneo extremamente longo - em intervalos de 13 ou 17 anos. Alguns biólogos, esses incorrigíveis curiosos em entender por que a Natureza é como é, suspeitam que dessa maneira elas conseguem escapar do ataque de parasitas, cujos ciclos acontecem em intervalos menores, entre 2 e 5 anos.

Assim, numa espécie cujos indivíduos emergem a cada 17 anos, todos mais ou menos ao mesmo tempo e em grande número, ainda que sofram o ataque de alguns parasitas, boa parte da população será poupada, e o que é mais importante, a próxima geração não servirá de comida para o mesmo parasita.

Na nossa sociedade que ainda sobrevive mais de superstição do que de raciocínio límpido, tudo serve de evidência para a grandeza e perfeição de um certo Deus machão e imperialista. Mas Deus não é necessário aqui. A seleção natural sozinha, um fenômeno tão cego e mecânico quanto o cair da chuva, é explicação suficiente para o surgimento dessa característica - e de praticamente tudo o mais que, sendo vivo, já foi estudado com carinho e rigor.

O que é grande, no caso, não é uma divindade única e perfeita, muito menos o conhecimento daqueles que falam em seu suposto nome. Grande mesmo é a Natureza que sempre encontra formas de variar e reinventar a si mesma. Mesmo o relógio preciso das cigarras Magicicada apresenta os seus "erros". Por vezes alguns indivíduos nascem antes ou depois do prazo obedecido pela maioria. Geralmente a diferença no relógio é de um ano, às vezes mais, e se essas cigarras tivessem religiosos em suas populações, talvez acusassem essas "variantes" de aberrações, pecadoras ou hereges, assim como fazem, por exemplo, em relação aos homossexuais, às putas, aos ateus e todos aqueles que não caminham na mesma direção da maioria.

Mas o fato é que é EXATAMENTE DISSO que a Natureza é feita: VARIAÇÃO. E é graças a essa variação que a vida pôde se diversificar em formas, cores e comportamentos tão maravilhosos, é assim que a vida se eleva a alturas vertiginosas, mesmo depois de extinções em larga escala. É justamente dessa eterna mudança e diversificação que os seres vivos tiram sua capacidade de adaptação; é a mudança, a fuga da uniformidade, o que aumenta as chances de cada espécie em continuar existindo na face do planeta, onde tudo sempre muda.

Assim, àqueles que acham que têm todas as respostas em um punhado de livros, só tenho a dizer: fechem seus livros e abram suas janelas! Deixem a humanidade evoluir, e questionem-se todos os dias se o certo é o que vocês pensam que é certo. Talvez possamos chegar a um consenso, mas antes a diversidade deverá ser compreendida, assimilada e abraçada com o amor que hoje é devotado a um único fantasma, de tipo bem duvidoso.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home