Thursday, August 13, 2009

A filosofia é a arte de pensar corretamente.

Confúcio - Os Analectos:

Livro XV. 3. O Mestre disse: "Ssu, você acha que eu sou o tipo de homem que aprende muitas coisas e que depois armazena na mente cada uma dessas coisas que aprendeu?"
- "Sim, acho. Não é assim?"
- "Não. Tenho apenas um único fio que liga todas elas."

Livro IV. 15. O Mestre disse: "Ts'an! Uma única linha amarra todo o meu pensamento".
Tseng Tzu assentiu.
Depois que o Mestre tinha saído, os discípulos perguntaram: "O que ele quis dizer?"
Tseng Tzu disse: "O caminho do Mestre consiste em dar o melhor de si e usar a si próprio como medida para julgar os outros. Isso é tudo."

--------

Ao contrário do que propunha o sábio chinês, o conhecimento hoje tende a ser absorvido não como um todo coerente, mas pela memorização de partes desconexas. Em biologia, por exemplo, a questão pode ser resumida ao aforismo clássico de Dobzhansky: "Nada em biologia faz sentido a não ser à luz da evolução." Antes de Darwin, Lamarck apresentou uma proposta de teoria evolutiva, que entretanto não sobreviveu aos fatos. Hoje, o darwinismo dá sentido aos fatos biológicos, que passam a ser "coisas amarradas por um único fio", e não mais fatos dispersos a serem memorizados.

Também na vida e na filosofia certas idéias e pensamentos organizam melhor do que outros a variedade da experiência. Este é o objetivo da filosofia: resumir nossos paradigmas a um mínimo que dê sentido ao restante da experiência, de forma a liberar capacidade mental para outras necessidades. A maneira certa de pensar não é A maneira certa de pensar, mas uma que, comparada a outras, nos forneça menos contradições, nenhuma apreensão, poucas dúvidas e a capacidade de investigar o desconhecido, debater o conhecido e mudar de idéia sempre que necessário.

2 Comments:

At 3:25 PM , Anonymous Anonymous said...

Realmente o darwinismo dá linha ao pensamento biológico e até epistemológico (memética).

Também penso ter uma teoria sobre o mundo que é de certa forma coerente.

Mas acho que é impossível existir uma forma inequívoca de se "pensar corretamente". Isso, inclusive, me parece uma idéia bem cristã, tanto quanto os cristãos pensam e sempre pensaram que pensavam corretamente. E, com esta filosofia, catequisaram todo o mundo e fizeram a inquisição e os massacres étnicos e culturais que sabemos bem.

Na minha opinião, não há um só caminho para a virtude, há vários. Há interseções entre eles, porém também contradições.

Tenho medo de um fundamentalismo filosófico e a idéia da filosofia perene e definitiva me parece herdar do cristianismo a vontade de estar correto em todas as circunstâncias... algo que acredito ser, sinceramente, um ideal impossível de ser alcançado.

Falô, bródi.
[]s!

 
At 7:23 PM , Blogger Rodrigo said...

O que proponho não é nenhum "fundamentalismo filosófico", mas a necessidade de corrigirmos erros. Há formas de pensar melhores e piores. Há pensamentos corretos e pensamentos que não correspondem à realidade. Só a discussão aberta pode melhorar o nível geral da própria discussão.

Se queremos fugir do fundamentalismo cristão - e de qualquer fundamentalismo - devemos localizar as contradições atuais e buscar resolvê-las. E não aceitá-las como permanentes e insolúveis (ao menos não a priori).

"A maneira certa de pensar não é A maneira certa de pensar, mas uma que, comparada a outras, nos forneça menos contradições..."

Há várias maneiras certas de pensar, mas acredito que, somadas todas as vantagens e desvantagens, seu número acabará reduzido a algumas poucas.

Falô!

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home