Friday, February 22, 2008

Sapos e grilos

Como pode alguém dizer que acha "chato" o barulho dos grilos à noite? Dos sapos? Sons da natureza? As mesmas pessoas que não acham chato o barulho dos celulares, a música repetitiva nas rádios, o "sucesso" do momento, a televisão?

Onde chegamos? Uma humanidade inteira meio destruída, meio desperdiçada, porque não sabe mais o que é bom. Perdeu o rumo. No escuro todo lado é um norte. Então tanto faz, não ganhamos nada tentando convencer ninguém de nada. Nem sabemos do que convenceríamos alguém. Não temos mais ideais, a não ser religiosos. E estes esmagam as minorias que tentam respirar. Os ideais religiosos não respeitam a diversidade. Desconhecem a diversidade - quando conhecemos a diversidade, qualquer religião perde o sentido. Simplesmente não vem mais ao caso. Há coisas mais importantes, e caminhos mais efetivos de alcançar essas coisas. Então, somos uma geração que ou não tem ideais, ou tem ideais que não vêm ao caso.

Só aprendemos a ajudar o próximo, não o distante. Hoje o mundo é globalizado, o distante tornou-se próximo, e o mundo precisa mudar.

Quando acordarmos, teremos TV, rádio e celular, teremos carros, apartamentos e roupas, mas não haverão nem grilos nem sapos. Podemos ser ricos e ver essas "curiosidades" no zoológico, no parque ou mais longe. Mas os mais pobres são cada vez mais pobres, mais numerosos, e nós somos cada vez mais como eles. Estamos todos perdendo a riqueza de saber desacelerar, parar o carro, apagar os faróis, descer, caminhar até o acostamento e olhar as estrelas. Esperar, em silêncio, os olhos se acostumarem com a escuridão, e ver. O mundo é belo. Até no escuro o mundo é belo. Bem mais belo do que TVs, rádios e celulares. Mas estamos tão ocupados em comprar TVs, rádios e celulares, carros, apartamentos e roupas, que não podemos medir as extensões de nossos atos, as conseqüências do que fazemos. Estamos com pressa, queremos nos divertir, e não aprendemos mais a achar bonito o barulho dos grilos e dos sapos. Nossas crianças crescerão cada vez mais distantes dessa beleza. E o mundo cada vez mais feio.

É uma pena.

2 Comments:

At 4:11 PM , Anonymous Anonymous said...

Olá Rodrigo

Estava procurando alguns artigos para uma pesquisa e li alguns dos seus textos. Considerando seu entusiasmo e seu pensamento estrutural, acredito que vc deva ter uns 20 anos... É sempre muito importante buscarmos conhecer bem e ter muita consciência do que falamos, admiro sua iniciativa de pesquisar as religiões que orientaram sua moral e seus valores, vc deveria ler Nietzsche... com alguma orientação claro... precaução pra que vc n pire de vez. Bem, já fui bem parecido com vc, nunca acredite nos outros, busque sempre a verdade, mas tome muito cuidado... vc me parece muito confuso, sem uma linha de raciocínio compreensível, vc tem muita sede de tudo, cuidado para n se afogar com um copo d'água... a vida é bem mais do que algumas críticas e muita falação. Se vc tiver o cuidado certo com o que escreve e com o que pensa, vc tem futuro garoto.

Apesar... bem... me entediou. Se vc deixar seus pensamentos amadurecerem mais pode ser que fique interessante ler o que vc escreve.

Bye

Aurora

 
At 3:49 AM , Blogger Rodrigo said...

Oi Aurora,

obrigado pela honestidade - coisa rara neste mundo. De fato, tenho mesmo muita sede, acho que isso me faz publicar aqui antes de poder melhorar o que escrevo. Gosto de dar vazão ao subconsciente, não escrevo em linha reta. Emerson se culpou por não ter muita coerência, mas admiro seus escritos. Acho que minha honestidade deve compensar essa dificuldade em me fazer entender.

É bom saber que você se entediou, porque geralmente quem se entedia não chega a comentar. Pela sua correção gramatical dá pra ver que tem muita educação, e eu admito que não escrevo isso para você. Penso sempre nas pessoas da minha idade ou mais novas, uma vez que eu gostaria de ter recebido certos conselhos quando tinha 20 anos. Se você leu alguns de meus textos, está bom, é bem mais do que a maioria das pessoas lê.

Meu estilo pode ser confuso, mas estou sempre procurando variá-lo, e acho que já sei que ele reflete cada fase da minha vida. Acho que podemos quebrar paradigmas até na linearidade com que as pessoas pensam. Quem sabe não é que você estava apenas despreparada? Talvez eu tenha ofendido a sua maneira de pensar, não sei. As pessoas que ficaram satisfeitas com meus textos me sugerem que eu estou no caminho certo. Você me sugere amadurecer mais as idéias e escrever com mais clareza. São bons conselhos, obrigado outra vez. Você diz que eu deveria ler Nietzsche, mas eu já li e estou sempre relendo. Você tem alguma sugestão do que seria uma boa orientação à distância? Mas pode ficar tranquila, não é Nietzsche quem me deixará louco, mas a hipocrisia dos nossos contemporâneos.

Abraços,

Rodrigo.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home