Tuesday, April 01, 2008

Tao Te Ching 1-10

1

O Tao sobre o qual podemos falar não é o Tao eterno.
O nome que podemos nomear não é o nome eterno.
Sem nome é a origem do mundo;
nome tem a mãe de todas as coisas.
Sem desejo observamos suas maravilhas;
com desejo só alcançamos sua fronteira.
Os dois são o mesmo mas seus nomes diferem,
juntos são chamados o Mistério.
O Mistério se reproduz em Mistério,
e é a porta de inúmeras maravilhas.


2

Todos sabemos que dando nome ao bem definimos assim o mal.
Sabemos que nomeando o hábil nomeamos assim o inábil.
Presença e ausência são fatos da vida,
difícil e fácil vêm da conquista,
longo e curto da forma,
alto e baixo do preenchimento,
som e voz distinguem-se na música,
primeiro e último vêm da seqüência.
Portanto, o sábio procede sem agir sobre as coisas,
ensina sem palavras,
faz inúmeras obras sem iniciá-las,
cria sem possuir,
executa mas não depende do resultado,
alcança o sucesso mas não o clama para si.
Solitário, não guarda nada, portanto nada perde.


3

Não valorizar o virtuoso faz as pessoas não competirem;
não valorizar objetos difíceis de conseguir evita que as pessoas roubem;
não mostrar o que provoca o desejo mantém suas mentes longe da desordem.
Logo, o governo do sábio
esvazia suas mentes, enche suas barrigas,
enfraquece suas aspirações, fortalece seus ossos.
Constantemente faz as pessoas não saberem nem desejarem.
Faz os inteligentes não ousarem agir.
Não havendo ação a norma é a harmonia.


4

O Tao é como a água que sai da torneira,
porém o seu uso não o esgota.
Como é profundo! Parece o ancestral de todas as coisas.
Profundo! Parece existir desde sempre.
Não sei de quem é filho,
parece anterior à toda existência.


5

A natureza não é benévola,
trata todas as coisas como iguais;
O sábio não é benévolo,
trata todas as pessoas como iguais.
O espaço entre o céu e a terra não é como um fole?
Se esvazia mas não cede,
modifica-se mas é sempre o mesmo.
Palavras numerosas geralmente são pobres,
e não tão boas quanto ater-se ao principal.


6

O espírito do vale nunca morre,
a profundíssima garganta.
É a porta da qual se origina o universo.
Como costurado à existência,
seu uso não requer esforço.


7

O universo é antigo.
Assim também é o mundo.
Como não existem para si próprios,
podem perdurar por muito tempo.
Assim o sábio se põe em último lugar
e se encontra em primeiro.
Trata de si como a um estranho
e assim se preserva.
Não cuida de si com egoísmo
por isso tem o que precisa.


8

O mais elevado é como a água.
A água beneficia todas as coisas
e não disputa com elas,
lida com as multidões evitando o mal,
acostumando tantos a respeito do Tao.
Vive bem na terra,
sua índole é profunda,
participa e ajuda,
promete o que cumpre,
governa com justiça,
é hábil e se move na ocasião propícia.
O homem reservado não é contestado
porque não desperta discórdia.


9

Encher até a borda é pior que parar no meio;
estimar, porém um afinco demasiado não poderá se manter.
Encha a sala de ouro e jóias e não poderá defendê-los;
rico e honrado, é a arrogância que não deixa de ser punida.
Realizado o trabalho, desapareça assim como o Tao.


10

Pode alguém abastecer-se de vigor guerreiro e ainda assim partir?
Respirando o espírito da suavidade não podemos tornar a ser crianças?
Nos livrarmos de todo pensamento profundo não é um tipo de erro?
É possível amar seu país e governar as massas a partir do princípio da não-ação?
Não é possível abrir e fechar as portas dos céus como uma fêmea de pássaro?
Pode a razão espalhar-se pelos quatro cantos sem o conhecimento?

6 Comments:

At 9:38 AM , Blogger Chico Prosdócimi said...

Bem, várias coisas a comentar, pouco espaço. Doidas são as viagens. O que é o tao, afinal de contas? Tava discutindo agora na hora do almoço com um cara aqui que faz tai-chi-chuan. Ele disse que o Tao é aquilo que está nas coisas mas não é visível, não é tangível. Meio viagem, meio coisa de energia, mas dá pra entender.

Será o Tao um tipo de meme pessoa-específico? Cada pessoa tem um feeling diferente sobre mesmos ambientes e tal... É claro que esse tipo de energia está em nossa cabeça e, embora influenciado pelo físico, não é o físico. Ou será também algo físico e mensurável? Enfim, qual a natureza física do meme? Quando encontrará, o meme, seu Watson e seu Crick? Encontrar-lhes-á algum dia?

 
At 7:28 PM , Anonymous Anonymous said...

Onde vc comprou esse beque eles não entregam pelo correio?

Acho que o Tao é um nome pra ir distraindo o leitor enquanto ele passa seus ensinamentos sobre a natureza das coisas. A primeira frase explica isso: o Tao sobre o qual falamos não é o Tao eterno. Não é físico, não é mensurável, não é compreendido pela razão. Você precisa abrir mão da razão para sentir essa "alguma coisa" que pode dar sentido às coisas. Mas sei lá também, é profundo! como diz o homem.

Rodrigo.

 
At 7:31 PM , Anonymous Anonymous said...

Ah, agora entendi a do meme (deve ser o ar tropical). Penso que o meme tem uma estrutura física sim, que estará nas ligações neuronais do cérebro. Como o cérebro consegue copiar batalhões de memes e colocá-los em guerra no nosso inconsciente é que dará ainda muito trabalho pros pesquisadores... mas, pra dizer a verdade acho que não me interesso mais por isso, e sim pelo que podemos criar na prática pra ajudar a manter a diversidade do mundo.

 
At 12:07 AM , Anonymous Anonymous said...

Não existe palavra para definir o Tao, ate mesmo a palavra Tao não consegue defini-la. Tao é (mas não pode ser afirmado que é) tudo. O Uno, A origem, o Infinito, ou ate mesmo em visões mais abertas, Deus.

Tente buscar o Principio de tudo e você vai achar o Nada, que por acaso esta contida no Tudo. Isso 'é' o TAO

 
At 4:05 PM , Blogger Rodrigo said...

Obrigado pela explicação, Anônimo. Eu só diria que "em visões mais fechadas, Deus."

Abraços!

 
At 10:53 PM , Blogger Rodrigo said...

Hoje já penso que são sinônimos

Tao = Dao = Natureza = Realidade = Universo (ou melhor ainda, Multiverso) = Existência

Da mesma forma que o Universo pós-big-bang poderia ter apenas átomos de hidrogênio, e hoje tem uma tabela periódica mais completa, com elementos pesados "assados" no interior das estrelas... assim também o Dao muda de forma, e quem sabe quantas outras formas assumiu em Universos invisíveis para nós, presos neste grande buraco-negro que chamamos de Universo...

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home