Friday, July 28, 2006

O amor

O amor em muitos momentos guiou a minha vida. Ele me fez sair de casa e procurar o mundo, procurar novas criaturas e idéias a serem amadas, lugares e momentos. O meu amor é universal, não posso ainda aplicá-lo a um único escolhido, talvez porque isso seria um desperdiço muito grande de um forte sentimento, talvez porque eu seja um tarado, talvez por não ter encontrado a pessoa certa. Mas não me sinto mais forçado a encontrá-la, como faz a imensa maioria das pessoas, completas apenas com sua "cara metade", que é o nome que dão para aquela massa plástica que deformam para adaptarem-na à forma de seus sonhos, de sua "metade". Meu amor vai além da carne e das estrelas, é um prodígio cósmico irrefreável e curioso, como uma criança galáctica. Cada breve momento de amores vividos e esquecidos teceram nas pautas da minha história uma sinfonia, e nela estou perdido, ouvindo os sons angelicais que ainda ecoam e não apontam nenhum caminho particular, e nem há pressa. Apenas música e o brilho leve de um coração permissivo.

1 Comments:

At 11:05 PM , Anonymous Marco said...

Ah, Rodrigo! Te achei de novo!
Tava com saudades de seus textos!
Acho que posso apagar o Prolapso, né?
Um grande abraço, e passo aqui pra te ler!
Marco

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home