Saturday, March 17, 2007

Não sei o que é bom

Dizem que não sei o que é bom. Dizem que minhas palavras às vezes parecem sem sentido. Julgam-me louco, por vezes, ou só inconseqüente. Mal sabem que dentro de mim dançam demônios bons e maus, curiosos e extravagantes.

Dizem que gosto do que não presta e que coleciono o que não lhes diz respeito, mas que me importa se o digam, ou que deixem de dizer? Que me importa? Apenas sei que o que eu quero é o que sempre quis, ainda que eu mude. É assim? Não mudamos, mesmo aprendendo? Talvez sim, quem sabe ao certo?

Dizem que não sei distinguir classe de desgosto, fumaça de incêndio, causa e conseqüência, mas digo que a última vez que olhei as estrelas elas estavam como sempre estiveram, e isso ainda me assusta e me maravilha.

Dizem que não sei o que quero, ou que quero o que não sei. Pode ser. Mas também quero o que conheço e o que desconheço, embora prefira este último.

Dirão que não dizem nem nunca disseram tais tartufices, e pode ser verdade. Talvez tenham dito sem querer, como faz quem diz sem pensar, só por dizer.

1 Comments:

At 9:59 PM , Anonymous Marco said...

Também não sei bem o que quero...
Viva a vida sem rumos!
Abraço!

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home